QUEM LÊ FICA SABENDO.

December 22, 2016

Funcionário da Caixa que disparou contra colegas fazia curso de tiros

Glei Mário de Lemos, 51 anos, era considerado pelos amigos uma pessoa longe de suspeitas: calmo e de bom relacionamento com os colegas de trabalho. Pelos depoimentos de funcionários e conhecidos do atirador, não há clareza sobre o histórico psicológico dele.  “Muito educado, muito gentil, muito tranquilo. Estamos todos surpresos”, conta Eliete Santos, que é esposa de um colega de trabalho de Glei Mário há mais de dez anos.
Uma  funcionária da Caixa, que pediu para não ser identificada, informou que ele parecia ser uma pessoa normal. “Lá no café, ele conversava com as pessoas, sempre estava com colegas, realmente todos estão incrédulos com essa atitude”, lamentou.


“A única coisa que sabemos é que ele estava passando por um transtorno emocional. Vamos estar à disposição para o que a família precisar”, informou o superintendente da Caixa, Anselmo Cunha. 
Testemunhas foram ouvidas e falaram sobre Glei Mário, que se matou após atirar em colegas de trabalho 
(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)
Morador de um edifício na Rua Ceará, Glei Mário é advogado e dividia apartamento com a mãe, que é escritora com assento na Academia de Letras da Bahia. Na Caixa Econômica, onde trabalha há 27 anos, ele assumia a posição de auxiliar operacional e processou a empresa em 2006 (processo arquivado há três anos) por causa de atraso em pagamentos. 
Um outro colega de trabalho, que não quis se identificar, relatou outros problemas que ele tinha na empresa.  “Parece que iria ter uma reunião sobre o trabalho, porque se queixava sobre a quantidade de serviço, que algumas pessoas estavam com muito serviço e outras com pouco”, relata o colega. 
“Ele se sentiu incluído no grupo dos que estavam com pouco serviço. Me falaram que ele já era um cara com mania de perseguição, não tinha amigos. E, na verdade, o nome dele nem foi citado”. 
O mesmo colega relatou outro comportamento que pode ajudar na investigação. “Ele era treinado em atirar, fazia curso de tiro e mirou tudo na cabeça. O chefe dele se jogou para o lado e se salvou. Em uma colega, o tiro pegou de raspão na cabeça. A terceira colega foi atingida na cabeça”, contou. O superintendente não soube informar se Glei Mário já havia procurado o setor médico da Caixa Econômica para relatar situações de estresse. “Precisamos de um pouco de paciência para essas informações”, pediu Anselmo.(Correio)
Compartilhar:
← Newer Post Older Post → Home

PUBLICIDADE

Publicidade

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE



PUBLICIDADE


Seguidores

Matéria do dia.

TCU paralisa reforma agrária no País após identificar 578 mil beneficiários irregulares

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a paralisação imediata do programa de reforma agrária do Incra em todo o País. A medida caut...

Contato Rápido

Contato Rápido

Mais Postagem

Total de visualizações