QUEM LÊ FICA SABENDO.

June 29, 2017

LDO 2018 de Salvador prevê receita de R$ 6,9 bilhões


O orçamento da Prefeitura é estimado em R$ 6,9 bilhões para o ano de 2018 e foi tema de debate em audiência pública da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização da Câmara Municipal, realizada na manhã desta quarta-feira (28), no auditório do Centro de Cultura. A discussão presidida pelo vereador Tiago Correia (PSDB) tratou da Lei de Diretrizes Orçamentárias (Projeto de Lei nº 279/17).
“A audiência da LDO/2018 tem o objetivo de recolher emendas da sociedade ou dos vereadores que podem alterar algum conteúdo do projeto de lei. Num segundo momento, o Executivo municipal irá encaminhar para a Câmara de Salvador a Lei Orçamentária Anual (LOA)”, afirmou Tiago Correia, presidente do colegiado.
A audiência teve como um dos objetivos ressaltar a transparência no processo de elaboração das diretrizes orçamentárias, “tornando-a participativa”, de acordo com o parlamentar. Após o recolhimento de todas as emendas (seja da população ou de vereadores), elas serão apresentadas e aprovadas na Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização. Em seguida, a LDO deve ser apreciada em plenário. A previsão é que a matéria seja votada até o dia 18 de julho.
“Por se tratar do início de gestão do Executivo, a LDO é colocada de forma menos detalhada, pois é seguida do Plano Plurianual (PPA). Que ainda segue em desenvolvimento, com previsão de conclusão até o dia 31 de agosto. Ela diz respeito às ações e metas políticas do governo, indicando quais áreas e os planos para investimento”, afirmou o vereador Tiago Correia.
A diretora de orçamento da Casa Civil, Ana Nery Reis Nogueira,  explicou que “devido à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) as diretrizes orçamentárias têm como foco o estabelecimento de metas como resultados primários, nominais e evolução do patrimônio líquido, além de questões da avaliação do fundo previdenciário”.

Do total de receitas estimadas para 2018, está prevista a distribuição de R$ 6,1 bilhões de receitas correntes (88%); R$ 291 milhões de receita intra-orçamentária (4%); R$ 901 milhões de receita de capital (13%) e R$ 351 milhões (conta retificadora), correspondente ao abatimento do valor aportado pelo município ao FUNDEB (-5%).

Gastos com pessoal - No debate, a vereadora Marta Rodrigues (PT), integrante do colegiado de Finanças, questionou a aplicação dos investimentos previstos com pessoal em 2018. “A LDO prevê um acréscimo de 6 % no próximo ano em recursos com pessoal. É necessário que esteja neste bojo pelo menos uma reposição inflacionária para os servidores públicos municipais. Afinal, eles não tiveram nenhum reajuste em 2016 e ainda não há nenhuma perspectiva para este ano”, disse.

Também estiveram presentes no evento os vereadores Cezar Leite (PSDB), Aladilce Souza (PCdoB) e Sílvio Humberto (PSB). A mesa de trabalhos da audiência pública também foi formada pelo subsecretário municipal da Fazenda, Caio Andrade.

Compartilhar:
← Newer Post Older Post → Home

PUBLICIDADE

Publicidade

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE



PUBLICIDADE


Seguidores

Matéria do dia.

TCU paralisa reforma agrária no País após identificar 578 mil beneficiários irregulares

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a paralisação imediata do programa de reforma agrária do Incra em todo o País. A medida caut...

Contato Rápido

Contato Rápido

Mais Postagem

Total de visualizações