Operação Luz da Infância 2: polícia cumpre mandados em oito cidades baianas

A Operação Luz da Infância 2, coordenada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública (MESP), foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (17), em 24 estados e no Distrito Federal. As equipes, formadas por policiais civis e federais, procuram arquivos com conteúdos relacionados a crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes. Cerca de 2,6 mil policiais civis cumprem mais de 500 mandados de busca e apreensão.
A Polícia Civil da Bahia participa da operação. Estão sendo cumpridos 26 mandados de busca e apreensão em Salvador, Camaçari, Feira de Santana, Poções, Camacã, Ilhéus, Itagimirim e na Ilha de Itaparica. Suspeitos também estão sendo detidos em flagrante. 
Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Dint/Senasp/MESP), com base em elementos informativos coletados em ambientes virtuais, que apresentavam indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva.
Esse conhecimento produzido durante quatro meses foi repassado às Polícias Civis – em especial delegacias de proteção à criança e ao adolescente e repressão a crimes informáticos – que instauraram inquéritos e solicitaram aos juízes locais a expedição dos mandados.
Na primeira edição da Operação Luz na Infância, realizada em 20 de outubro de 2017, foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. Durante a apreensão desses materiais nos 24 estados e DF, foram identificadas e presas 112 pessoas que utilizavam esses equipamentos para produzir, guardar ou compartilhar conteúdos de pedofilia na internet. Aquela operação foi resultado de seis meses de levantamentos e investigações coordenados pela Senasp/MESP, em conjunto com as agências de inteligência das Polícias Civis. 
Até o momento três pessoas foram presas em flagrante. Os envolvidos devem responder pelo crime do artigo 241-A da Lei 8069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente), que prevê penas de 3 a 6 anos de reclusão e multa.
A operação foi intitulada Luz na Infância por serem bárbaros e obscuros os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. Os acusados deste tipo de delito agem nas sombras da internet e devem ter suas condutas elucidadas e julgadas, como a de qualquer criminoso.Por: Divulgação / PC-BA

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.