Brasil enfrenta a Costa Rica já em clima de decisão por vaga

Neymar está confirmado no duelo com a Costa Rica (Lucas Figueiredo / CBF)
Seleção precisa vencer para encaminhar classificação
É apenas a segunda rodada da Copa do Mundo, mas o Brasil vai entrar em campo nesta sexta-feira (22) contra a Costa Rica em clima de decisão. A Seleção Brasileira precisa vencer o jogo das 9h, na Arena Zenit, em São Petersburgo, para encaminhar a classificação às oitavas de final do Mundial da Rússia.
A partida ganhou cores de dramaticidade devido aos resultados das duas seleções na estreia. O Brasil não jogou bem e apenas empatou por 1x1 com a Suíça, em Rostov. A situação da Costa Rica é ainda pior. Como perdeu para a Sérvia por 1x0, não pode se dar ao luxo de ser derrotada outra vez. Se isso ocorrer, será eliminada do torneio.
“A equipe está bem ciente do que vai enfrentar: um adversário de muita qualidade, que fez uma excelente Copa do Mundo no Brasil. Não começou tão bem essa Copa, com derrota, mas estão loucos para dar a volta por cima. Temos que estar preparados”, alertou Thiago Silva, escolhido para ser o capitão.
“Não é de qualquer maneira que vamos vencer. Temos estratégia para esse jogo. (...) Estamos bem cientes e tranquilos para uma grande apresentação”, comentou o zagueiro.
Essa grande apresentação, consistente como as já realizadas sob o comando de Tite durante a campanha de classificação para o Mundial, seria buscada com os mesmos titulares da estreia, só que Danilo foi vetado na quinta-feira, com lesão no quadril.
A CBF não deu previsão de retorno. Fagner assume a lateral direita e, com isso, o time terá Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Coutinho; Willian, Gabriel Jesus e Neymar.
A última atividade antes da partida aconteceu na Arena Zenit, palco do confronto, para que jogadores e comissão técnica fizessem o reconhecimento do gramado. Como habitual, a imprensa só pôde acompanhar os 15 minutos iniciais da atividade, quando Tite deu ênfase ao posicionamento do time em campo.
Passada a ansiedade da estreia, o técnico acredita que a Seleção jogará mais focada. “Aquele afã, do seu próprio técnico, da estreia no Mundial, já passou. Tem tranquilidade maior, o técnico também conta, é ser humano. Eu também estava na expectativa do primeiro jogo. Hoje,  já temos foco maior, abstração maior”, disse o treinador.
Aliás, concentração é palavra de ordem contra a Costa Rica. A Seleção foi recepcionada com festa por cerca de 300 torcedores na chegada ao hotel em São Petersburgo. Apesar do clima contagiante e dos gritos empolgados de “o campeão voltou”, Tite pregou foco no desempenho e no resultado. 
“Tem componente emocional muito forte e claro que a gente fica contente. Paralelamente a isso, nível de concentração alto. Tem 95 minutos para fazer jogo decisivo, jogar bem e vencer, ter a possibilidade de seguir na competição. Tem que estar muito focado. Tem que pegar esse carinho do torcedor junto com lucidez”.
Costa Rica
O clima no adversário de hoje não é bom. A imprensa costa-riquenha chegou a noticiar que o elenco estaria “rachado”, com formação de alguns grupos. O treinador Oscar Ramírez, por sua vez, prefere deixar as críticas de lado e foca na tática ideal para surpreender o Brasil.
Segundo ele, uma boa alternativa pode ser a bola parada. “Não sou conformista, mas também sei o potencial do Brasil. Gostaria de poder jogar e olhar a distância, sabendo que podemos ganhar. A bola parada pode ser uma arma. Eles também têm que buscar o resultado e podem se desequilibrar, nos dar algumas chances. Gostaria de buscar essa possibilidade de poder ganhar”, analisou o treinador.
A Costa Rica é lanterna do Grupo E, sem ponto. O time perdeu da Sérvia na estreia  por 1x0, em Samara.(Correio)

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.