Morre jovem atacado por tubarão no Grande Recife



O jovem que foi atacado por um tubarão, no domingo (3), na Praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, morreu nesta segunda-feira (4), no Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central da capital pernambucana. José Ernesto Ferreira da Silva chegou a passar por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.
Com esse caso, deve subir para 65 o número oficial de ataques e para 25 a quantidade de mortes que integram a lista do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), que registra os casos desde 1992, em Pernambuco. O órgão depende do laudo da morte, ainda não divulgado, para fazer a atualização dos dados.
De acordo com o diretor geral do Hospital da Restauração, Miguel Arcanjo, o jovem chegou ao hospital às 17h56. Oito médicos cirurgiões participaram da cirurgia para amputação da perna esquerda e revascularização dos órgãos genitais.
“Ele chegou inconsciente, com um ferimento extremamente extenso, gravíssimo. Depois da cirurgia, que acabou por volta das 21h30, ele chegou a ser internado na UTI. Ele perdeu muito sangue, que foi reposto, mas ele teve um choque hipovolêmico e não resistiu”, disse Miguel Arcanjo.
A morte ocorreu às 4h05. O corpo de José Ernesto foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), onde passa por necropsia. O enterro está previsto para acontecer na terça-feira (5), em Jaboatão dos Guararapes.
Área de risco
No dia do ataque, os bombeiros realizaram mais de 20 intervenções para que os banhistas saíssem do mar, em virtude do perigo no local. Menos de dois meses antes, naquela área, um homem de 34 anos foi atacado por um tubarão.
O local onde José Ernesto foi mordido é o ponto onde houve mais ataques de tubarão na costa pernambucana, com 12 dos 65 incidentes registradas pelo Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), que notifica os casos desde 1992.
Resgate
O ataque ocorreu na tarde de domingo (3), na frente da Igrejinha de Piedade, área considerada pelos bombeiros uma das mais perigosas na orla. O guarda-vidas Carlos César Santana da Silva, 34 anos, participou do resgate de José Ernesto. Ele contou que estava deixando o posto para fazer uma advertência a José Ernesto, que nadava na parte funda, quando o jovem foi atacado.
Após ser retirado da água, José Ernesto foi socorrido pelos Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Primeiro, ele seguiu para o Hospital da Aeronáutica, também em Piedade. Em seguida, teve que ser transferido para o HR.
O jovem sofreu duas paradas cardíacas antes de ser submetido a uma cirurgia. Segundo o médico do Samu responsável pelos primeiros socorros, Wagner Monteiro, a mordida atingiu o fêmur da perna esquerda e parte do pênis do paciente.
No HR, o rapaz passou por um procedimento de pouco mais de três horas, na noite de domingo. Os médicos tiveram que amputar a perna esquerda para conter o sangramento. Os pais de José Ernesto estiveram na unidade de saúde. Abalados, eles afirmaram que o rapaz saiu de casa para ir para a praia sem avisar.
Pais de José Ernestor Ferreira da Silva, mordido por um tubarão, chegam a hospital no Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)

Após o incidente, o Cemit iniciou as investigações para avaliar o caso. “Temos equipes no Hospital da Restauração e na Praia de Piedade conversando com as pessoas que estavam presentes na hora em que o jovem foi mordido. A ideia é coletar o máximo possível de informações”, afirmou o coronel Leodilson Bastos, presidente do órgão.
Depois da apuração, o Cemit deve se reunir para avaliar a situação. “Nessa reunião, há a proposta de gerar políticas públicas que possam mitigar incidentes com tubarão no futuro”, diz Bastos.
Homem foi atacado por tubarão na Praia de Piedade, no Grande Recife (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Homem foi atacado por tubarão na Praia de Piedade, no Grande Recife (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Caso recente
O incidente ocorreu na mesma área em que um homem de 34 anos havia sido mordido por um tubarão em abril deste ano. Pablo Diego Inácio de Melo, natural do Rio Grande do Norte, teve os membros do lado direito do corpo amputados após o incidente.
Segundo o oficial de operações do Grupamento Marítimo (GBmar) que participou do atendimento, capitão Arthur Leone, o homem estava numa área sinalizada por placas, com água na altura da cintura, quando foi mordido. Após perícias, o Cemit confirmou que o homem foi mordido por um tubarão.
O caso de Pablo foi o 64º incidente com tubarão contabilizado pelo Cemit. Em nota divulgada na época, o órgão apontou que o incidente foi “presumivelmente provocado por tubarão tigre”.
*G1

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.