PF acha novos indícios de propina a operador de Temer

    A Polícia Federal encontrou num cofre da Argeplan, empreiteira do coronel João Baptista Lima, uma planilha que sugere repasse da empresa de coleta de lixo da Codesp, administradora do Porto de Santos.
    Segundo o Globo, Lima teria embolsado nada menos que 17% de um contrato de R$ 50 milhões firmado com o consórcio Transportadora Júlio Simões e Coletadora Pioneira. Ele data de 1998, com prazo de 15 anos.
    Na planilha, o percentual aparece associado ao nome J.P. Tecnolimp, do grupo Julio Simões, que, segundo a PF, fechou no mesmo ano um acordo de acionistas com a empresa Eliland, braço de uma offshore no Uruguai.
    Segundo O Globo, pelo acordo, a Eliland receberia R$ 8,5 milhões – exatamente o percentual de 17%. As movimentações financeiras da Eliland eram feitas por Almir Martins Ferreira, contador da Argeplan, também responsável pelas contas de campanhas de Michel Temer na década de 1990. (BN)

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.