65,8% das cidades com ônibus não têm veículos adaptados a deficientes na Bahia

    A Bahia é o estado do Brasil com segundo maior percentual de ônibus municipais sem acessibilidade, segundo dados do IBGE divulgados nesta quinta-feira (5). Segundo os dados, que são do ano de 2017, 65,8% dos municípios baianos onde há ônibus municipais (79 de 120) não têm nenhum veículo com acessibilidade adequada para quem tem deficiência ou mobilidade reduzida. A lei brasileira determina desde 2014 que toda a frota de transporte coletivo deve ser adaptado. O estado aparece atrás apenas de Roraima, onde 75% dos municípios que têm ônibus não tinham nenhuma adaptação na frota.
    Em todo país, 39,4% dos municípios com ônibus não tinham nenhum veículo adaptado em 2017. No outro espectro, o estado com índice mais baixo é Tocantins, em que apenas 14,3% dos municípios que têm frota de ônibus não têm nenhum veículo adaptado. São Paulo é o segundo com 14,9%.
    Em toda Bahia, somente cinco municípios informaram no ano passado que toda a frota de ônibus estava adaptada: Feira de Santana, Irecê, Itabuna, Jacobina e Maragogipe. Outras 36 cidades, incluindo Salvador, têm apenas parte da frota adaptada. A adaptação mais comum é a plataforma elevatória para acesso ao ônibus, informada por 27 municípios, entre eles a capital.
    A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) recomenda que a plataforma elevatória seja usada somente se não houver como usar duas outras soluções: piso baixo nos ônibus (10 municípios baianos informaram que têm ônibus assim) ou plataforma de embarque e desembarque para acesso a ônibus com piso alto (informada por 11 municípios). A plataforma elevatória é a adaptação mais comum em todo Brasil – 627 municípios brasileiros a utilizam.
    Vans são mais comuns na Bahia
    Os dados também revelam que na Bahia o transporte coletivo municipal mais comum é a van, presente em quase 9 de 10 cidades baianas. Em 2017, 85,1% dos municípios baianos (355) utilizam o sistema. Com isso, a Bahia é o quarto estado brasileiro que mais usa vans, ficando bem acima da média nacional, que é de 53,5%.
    Nacionalmente, os táxis são o meio de transporte mais presente – estão em 73,8% das cidades. Na Bahia, os táxis têm operação em 73,6% dos municípios, sendo o segundo modal mais frequente. O mototáxi aparece em terceiro – tanto na Bahia quanto no Brasil. Na Bahia, são 71,5% das cidades que utilizam o serviço. No país, os mototaxistas estão em 46% das cidades. Os ônibus municipais (transitam apenas dentro da própria cidade) estão somente em quarto lugar – na Bahia, a presença é em 28,8% das cidades e no Brasil em 30,1%.
    No transporte público brasileiro, o metrô é o menos comum – em todo Brasil, apenas 20 cidades têm o modal, incluindo Salvador.
    Ciclovias
    Quando se fala em ciclovia, a Bahia também aparece com números baixos. De todos os 417 municípios baianos, só 34 reportaram que possuem ciclovias no ano passado. O número representa apenas 8,2% do total. O estado com maior percentual é o Rio, no qual 41,3% das cidades têm alguma ciclovia, o Acre, com 40,9%, e Santa Catarina, com 31,2%. Em todo o Brasil, 817 cidades informaram que têm ciclovia (total de 14,3%).
    Na Bahia, são sete cidades que que no ano passado tinham ciclovia e bicicletário público: Alcobaça, Canavieiras, Dias D’Ávila, Mata de São João, Prado, São Francisco do Conde e Salvador.
    *Correio

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.