Equipe feminina de vôlei emite nota de repúdio contra machismo no esporte de Santo Antônio de Jesus

A equipe feminina de vôlei de Santo Antônio de Jesus divulgou uma nota que repudia as atitudes machistas praticadas no esporte santoantoniense. As mulheres citaram também a misoginia e o machismo durante a Copa do Mundo na Rússia e em atitudes praticadas inclusive por brasileiros. Elas reiteram que o machismo não é diferente em Santo Antônio de Jesus e nos esportes que envolvem as atletas. Confira nota abaixo:
Nota de repúdio ao machismo no Esporte Santantoniense!
O ambiente esportivo, assim como acontece em todos os espaços, reproduz os padrões sociais e comportamentais de uma sociedade. No Brasil não é diferente. Desde a infância, a maioria de nós, mulheres, e de homens são estimulados diferentemente à prática de esportes.
Muito tem mudado, é verdade. Porém, bem menos do que gostaríamos. Durante a Copa do Mundo da Rússia, que, veja bem, acabou de começar, foram filmados e divulgados vídeos de torcedores humilhando e agredindo verbalmente mulheres russas. Um deles, o primeiro a ser amplamente divulgado, foi feito por brasileiros.
No vídeo, esses homens falam palavrões em português, língua que claramente elas não estão entendendo, o que configura preconceito étnico, e as agridem verbalmente se referindo de forma pejorativa ao corpo feminino (machismo/misoginia).
A chamada “brincadeira”, justificativa dada pelos abusadores dos vídeos e nos inúmeros casos vivenciados por mulheres no trabalho, nos grupos em redes sociais, na família e na conversa de bar, não tem graça. Isso torna a “brincadeira” VIOLÊNCIA.
Isso não só aconteceu na COPA, aqui em Santo Antônio de Jesus, nós, mulheres da Equipe Feminina de Vôlei, sofremos diversas formas de Violências dentro do Espaço do Ginásio de Esportes Waldemar Pinto de Queiroz, tanto por parte de alguns atletas, quanto por parte do Secretário Municipal de Esporte, quando o mesmo tenta impor algumas de suas deliberações, privilegiando os MACHOS.
Pois, além de não ter nenhum tipo de Política voltada para o Incentivo e Fomentação do Esporte, a Secretaria Municipal não faz sequer uma parceria (Treinador, material esportivo e etc.) com as Equipes que ali estão (Ginásio de Esportes) desenvolvendo Projetos Esportivo há décadas de forma VOLUNTÁRIA.
E nós estamos indignadas com tamanha violência. Porém, não fomos pegas de surpresa. Esse não é um caso isolado de machismo dentro do ambiente esportivo.
As violências, sejam elas físicas, verbais e/ou psicológicas tentam dar o recado de que não somos bem-vindas em todos os espaços. Mas nós seguiremos repetindo: Lugar de mulher é onde ela quiser!
Nos indignamos e nos mobilizamos contra essas atitudes machistas, que buscam impor o medo e controlar nossa liberdade. Nos posicionamos a favor da identificação e responsabilização dos assediadores.
Salientamos, ainda, que o estado brasileiro, enquanto signatário de tratados internacionais pelo respeito aos direitos humanos das mulheres e erradicação de todas as formas de violências contra as mulheres (como a CEDAW), deve cumprir com as estratégias e acordos para a eliminação da desigualdade de gênero.
O Brasil de forma geral (Estados e Municípios) precisa retomar a implementação das políticas públicas para as mulheres, encarar as discussões de gênero nas escolas, estabelecer uma interlocução com as mulheres em sua diversidade e reconhecer nossas pautas. Queremos ser ouvidas, respeitadas, livres para decidir e nos divertir!
Santo Antônio de Jesus – BA, 13 de Julho de 2018.
Atenciosamente,
Equipe Feminina de Vôlei de Santo Antônio de Jesus

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.