Mulheres debatem empreendedorismo no 2º Seminário Salvador Cidade Inovadora

    “Salvador tem reconhecido cada vez mais o potencial feminino e aberto portas para muitos trabalhos. Arrisquem, não tenham medo!”. Foi com essa mensagem de estímulo às mulheres que a palestrante Michelle Meirelles, autora do portal Entre Elas, abriu a palestra “Empreendedorismo e Inclusão”, na tarde desta quinta-feira (26), durante o 2º Seminário Salvador Cidade Inovadora, no Terminal Marítimo do Comércio. A plateia esteve lotada no evento gratuito, organizado pela Secretaria Municipal de Cidade Sustentável e Inovação (Secis), em parceria com o Sebrae.
    Michelle é uma jovem empreendedora brasileira que mora nos Estados Unidos há mais de 10 anos, onde estudou Gestão Financeira e de Projetos na New York University. Hoje é profissional de Coaching com anos de experiência em treinamento gerencial, e administra o site de Networking, que oferece um “menu” de produtos e serviços com o intuito de fortalecer o universo empresarial feminino.
    Segundo ela, é a falta de oportunidades e de reconhecimento das qualificações femininas no mercado de trabalho convencional que leva a mulher a empreender. “Parece um contrassenso, mas é a pura verdade. Na maioria das vezes, são aquelas mulheres que acabaram de ser mães, que não têm suporte da família, não têm como trabalhar fora, que precisam se sentir úteis e buscam empreender. Digo para que esqueçam os rótulos e tentem”, estimula.
    As palavras de incentivo foram endossadas pela fundadora do Instituto Feira Preta, Adriana Barbosa, que também participou do debate no palco principal. Incentivadora do afro-empreendedorismo, em especial para mulheres, ela contou um pouco sobre como começou sua trajetória. “Minha avó vendia coxinhas, ampliou para marmitas e eu as entregava. Depois comecei a fazer bazar. Fui indo, indo e hoje estou aqui. Costumo dizer que a mulher negra é grande. E de fato, somos”, reforça.
    Além de ser fundadora do Instituto Feira Preta, que é uma plataforma que há 16 anos fortalece e valoriza a cultura negra no Brasil, Michele integra a lista das 51 pessoas negras mais influentes em cultura e mídia do mundo, título dado ano passado pelo Most Influential People of African Descent, o MIPAD, um órgão que reconhece pessoas que mudam o mundo. Durante sua explanação fez questão de destacar a importância na Bahia nesse processo de empoderamento da mulher negra. “A Bahia é a pequena África do Brasil. Hoje a população negra já reconhece como negra e vive agora o momento de oportunidades, daí o porquê de empreender”, disse.
    O mesmo painel contou com a presença de Fernando Sandes da Viajay. A mediação foi feita por Flávia Paixão, que é também Consultora em Empreendedorismo. Durante todo o dia, o 2º Seminário Salvador Cidade Inovadora contou com palestras, painéis, workshops, competições e dinâmicas interativas que abordaram o tema “Empreendedorismo de Impacto Social”.
    *SECOM

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.