2º turno entre PT e PSDB depende de Alckmin se distanciar de Temer, avalia Haddad


Contrariando os principais caciques petistas que apostam em um segundo turno para a disputa presidencial entre o PT e o PDT de Ciro Gomes, o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, Fernando Haddad (PT), afirmou que acredita que o embate ocorrerá entre o representante de sua sigla e o PSDB. Entretanto, o ex-prefeito de São Paulo diz que Geraldo Alckmin só conseguirá ir ao segundo turno caso consiga se desvencilhar da ligação com o governo de Michel Temer. 
Segundo Haddad, que deverá ser cabeça de chapa do PT caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se torne inelegível, o programa de governo de Alckmin é igual ao “Ponte para o Futuro”, base da administração Temer. “O Alckmin tem duas dificuldades. Uma é a existência do Bolsonaro, e outra é essa bola de ferro no pé do governo Temer”, disse, em entrevista ao programa Canal Livre, da Band, no início da madrugada desta segunda-feira (20). 
Questionado mais uma vez se apoiaria uma candidatura do PSDB no segundo turno caso a disputa ficasse entre o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, e o tucano, Haddad repetiu que acha “impossível” essa hipótese, porque o “Alckmin só cresce às custas do Bolsonaro.
”Ele disse, contudo, que acredita que um deles estará no segundo turno. Haddad completou que só estaria disposto a conversar com o tucano caso ele desistisse do programa econômico similar ao Temer. “Se somos oposição do Temer, como vamos apoiar candidato que subscreve o programa de Temer?”.   Por: José Cruz/Agência Brasil

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.