Candidato a vice de Lula diz que Dilma não teve condições 'psicológicas' para lidar com a 'turma do barulho' do Congresso


Candidato a vice na chapa do ex-presidente Lula, Fernando Haddad (PT), em entrevista a Rádio Metropóle fez uma análise do que teria levado a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) a deixar o poder. Segundo ele, ela não teve “condições psicológicas” de lidar com a “turma do barulho do Congresso”.
Dentre os personagens principais ele citou o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, também do MDB, que segundo Haddad, teriam se unido a Aécio Neves (PSDB), após o mesmo ser derrotado nas urnas, para 'derrrubar' Dilma.  
"A ex-presidente tinha alergia à corrupção e no Congresso tem de tudo. Para ela, foi muito difícil conviver com algumas figuras. Ela não tinha condições psicológicas de lidar com um sujeito como Eduardo Cunha. Como é que você lida com Cunha? Mas olha só, quem é que mandava no Congresso nessa época? Cunha, Geddel. Geddel tinha um peso na política impressionante. […] Uma turma do barulho tomou conta do Congresso. Ela se retraiu para não se misturar. Aécio, quando perdeu a eleição, fez uma aliança com essa turma para afastar Dilma. Mas eles usaram o lado mau do Congresso”, afirmou. Por: Gilberto Júnior/BNews

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.