Garoto de 16 anos morre com tiro no rosto ao ter celular roubado em São Paulo



Um adolescente de 16 anos morreu após ter recebido um tiro no rosto durante um assalto na Freguesia do Ó, na zona norte de São Paulo. O crime aconteceu por volta das 21h40 desta sexta-feira (10).
Segundo o boletim de ocorrência, uma testemunha diz que Robert Henrique Araujo Braga teve seu celular roubado por dois assaltantes. Após discussão, o rapaz recebeu um tiro no rosto. Ao chegarem ao local, policiais militares viram o adolescente caído e chamaram agentes de resgate, que constataram o óbito na cena do crime, na rua Professor Andrioli.
Nenhum suspeito foi preso até a publicação desta reportagem.
O caso foi registrado como latrocínio (roubo seguido de morte) no 13º distrito policial, na Casa Verde, e encaminhado para o DHPP - Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Equipes analisam imagens de câmeras de segurança e testemunhas para encontrar os autores do crime.
Na quinta-feira (9), em Santo André, a estudante Paula de Freitas Silva, 18, foi morta com um tiro no peito em uma tentativa de assalto quando ia para a escola, mesmo entregando seu celular para o assassino, ainda não identificado.
Segundo a amiga que acompanhava Paula, uma estudante de 17 anos, dois criminosos em uma moto as abordaram, além de mais duas vítimas, que iam juntas para a escola.
Ao entregar o aparelho de segunda mão, que havia custado R$ 150, Paula teria dito “toma o celular”.
O assassino interpretou a atitude como “um deboche” afirmando “você está me tirando” e disparou, uma vez, contra o peito da jovem.
Em seguida, a dupla fugiu, sem levar nenhum objeto das vítimas.
A taxa de mortes violentas intencionais no Brasil atingiu 30,8 para cada 100 mil habitantes no ano passado, quando morreram dessa forma 63.880 pessoas em todo o país, um avanço de 3% em relação às registradas em 2016. Isso representa um total de 175 assassinatos por dia no país. O índice de 2017 foi o maior da série histórica, iniciada em 2013.
Esses dados do panorama da violência em 2017 aparecem em levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, organização de pesquisadores da área e que compila estatísticas de secretarias estaduais de segurança e das polícias Civil e Militar de todos os estados.  Por: Folhapress

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.