PF descarta motivação criminosa em queda de avião de Campos


A pós quatro anos do acidente aéreo que matou, em Santos, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, a Polícia Federal apontou os fatores que podem ter derrubado o avião: falha mecânica, desorientação espacial ou até mesmo o choque com um pássaro.
O relatório final, que será encaminhado ao Ministério Público, não indica de maneira conclusiva, entre as hipóteses levantadas, qual seria a mais provável. De acordo com o inquérito, pode ter ocorrido uma combinação de fatores.
Em relação a problemas mecânicos, os peritos detectaram a possibilidade de alterações no "profundor" ou no "compensador", que ficam na cauda da aeronave.​
A investigação aponta que a falha desses dois equipamentos pode acarretar uma subida ou descida acentuada do avião. 
Na manhã desta segunda-feira, o resultado da Polícia Federal foi apresentado à Família Campos. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, também estava presente.
João Campos, filho de Eduardo Campos, falou sobre a apresentação da Polícia Federal. "A investigação está concluída. Demorou muito porque foi a melhor possível. O delegado nos apontou quatro hipóteses. Podem ter ocorrido todas ou uma combinação. Não tem como saber o que houve", disse.
Foram produzidas mais de quatro mil páginas sobre o acidente. O irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, disse querer aprofundar se as possíveis falham mecânicas foram "tecnicamente preparadas". 
A investigação descarta a hipótese de sabotagem. "É preciso muita serenidade e seriedade neste momento", declarou João Campos. Por: Folhapress

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.