Candidatos acusam presidente do partido de Bolsonaro na Bahia de não distribuir recursos para campanhas



Candidatos a deputados federais pelo PSL gravaram um vídeo acusando a presidente do partido na Bahia, Dayane Pimentel, que também disputa uma vaga na Câmara, de não distribuir os R$ 210 mil do fundo partidário. 

De acordo com o candidato Professor Jussilvio Pena, Dayane montou um complô para tirar a força dos candidatos e de Jair Bolsonaro, que disputa a presidência da República pelo PSL. "Todos vocês estão sendo enganados por essa presidente Dayane Pimentel. Ela montou um complô para atrapalhar os candidatos e tirar a força do nosso Jair Bolsonaro. Aqui na Bahia somente ela faz campanha para deputado federal”, disse no vídeo.

"Estamos aqui no TRE. Nossa causa foi indeferida, mas já vamos subir com recurso para o TSE. Foram tiradas 14 mulheres do nosso partido. Três dias depois, retiraram 18 candidatos homens dizendo que não dava para cumprir a cota de mulheres. Em uma reunião, a professora Dayane Pimentel queria que eu saísse de deputado federal para estadual para não concorrer com ela”, prosseguiu. 

Ainda de acordo com o candidato, o nome de Dayane consta na folha de pagamento da prefeitura de Feira de Santana. Além disso, ela teria forçado candidatos a fazer propaganda para Zé Ronaldo (DEM).

"Ela e a vice-presidente do partido constam na folha de pagamento da prefeitura de Feira de Santana. Imagine se isso cair na mão da esquerda. Vão destruir os votos do nosso capitão aqui na Bahia. Ela está obrigando os candidatos a deputados estaduais a terem santinhos com Zé Ronaldo, mas ele está fazendo campanha para Alckmin”, acrescentou. 

BNews tentou entrar em contato com Dayane Pimentel e com seu assessor, Alberto Pimentel, mas não obteve sucesso até a publicação desta matéria.   Por: Reprodução

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.