"Sairá maior do que entrou", afirma Mourão sobre Bolsonaro após ataque


O general Antônio Hamilton Mourão (PRTB), candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), comparou o atentado contra o deputado ao sofrido por Marielle Franco (PSOL), vereadora do Rio assassinada em março. Ele explicou que nos dois casos foram um "atentado ao Estado, crime político". Ele ainda prevê que "Bolsonaro saíra desse processo maior do que entrou".
"A tese em relação a morte da Marielle é que ela foi assassinada pela ação que ela tinha em determinadas comunidades do Rio de Janeiro e aí feriu os interesses da milícia, e o Bolsonaro, é óbvio que no momento em que ele está com uma posição de destaque na campanha e tem uma palavra diferente daquilo que o mecanismo, estabilishment brasileiro hoje considera que seria a necessidade, ele pode ser exposto a um ato dessa natureza por qualquer desequilibrado", explicou o general.
Mourão concedeu entrevista coletiva em Porto Alegre, na noite de quinta-feira (6), após participar do Congresso Brasileiro de Neurocirurgia, para falar sobre o atentado sofrido por Bolsonaro durante ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. "Esse é um momento onde temos de agir com calma. Baixar as tensões. Isso é um processo político e não uma guerra civil".
O general evitou fazer conexões entre o agressor e partidos políticos, destacando que a polícia tem de investigar se ele agiu sozinho, e suas motivações. Ele explicou, ainda, que Bolsonaro não estava usando colete à prova de balas, contrariando orientação de sua equipe. Por: Reprodução/Twitter

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.