Com malformação no coração, siamesa separada da irmã passa por 3ª cirurgia em menos de dois meses na BA


gêmea siamesa que nasceu com uma malformação no coração, e que está internada em Salvador, passou pela terceira cirurgia em menos de dois meses de vida.
O último procedimento médico ocorreu na sexta-feira (19), quando foi realizado na criança a implantação de uma válvula cardíaca para melhorar a frequência dos batimentos do coração, a respiração e para possibilitar a retirada da Intubação endotraqueal - para que ela possa respirar sem ajuda de aparelhos.
A mãe das gêmeas, a consultora de vendas Viviane Menezes, mora em Salvador. O parto, no entanto, ocorreu em Goiânia no dia 22 de agosto, porque a cidade possui um centro de referência para casos de siameses. As gêmeas Catarina e Débora, que completam dois meses nesta segunda-feira (22), nasceram grudadas pelo tórax e barriga.
Débora é a que tem problema de coração. Além da cirurgia de separação da irmã e da cirurgia cardíaca feita na última sexta-feira, ela também já foi submetida à cirurgia para tratar quadro de hidrocefalia, doença que provoca o acúmulo de água no cérebro, no dia 20 de setembro.
Grávida da Bahia deu luz gêmeas siamesas em Goiânia. — Foto: Arquivo pessoalGrávida da Bahia deu luz gêmeas siamesas em Goiânia. — Foto: Arquivo pessoal
Grávida da Bahia deu luz gêmeas siamesas em Goiânia. — Foto: Arquivo pessoal
"Já passou pelas três cirurgias e está tudo indo bem, graças a Deus. A cirurgia da sexta foi por conta da cardiopatia. Foi um procedimento preventivo, para possibilitar que ela ganhe peso, respire sozinha e possa já ir para casa. Depois, ela retorna para o hospital para a cirurgia definitiva no coração", disse ao G1 a mãe das crianças, nesta segunda-feira. Ainda não há previsão de quando a cirurgia definitiva no coração será realizada. 
Debora está internada no Hospital Ana Nery, no bairro da Caixa D'Água, e Catarina na Maternidade Climério de Oliveira, no bairro de Nazaré. A mãe se divide entre dois hospitais, para estar perto das filhas. Segundo ela, as duas filhas passam bem. "Não teve nenhuma intercorrência e segue tudo bem. Eu vivo de um lado para o outro, para olhar as duas, mas dou graças a Deus por tudo", diz.

Caso

Pais das gêmeas siamesas. — Foto: Arquivo pessoalPais das gêmeas siamesas. — Foto: Arquivo pessoal
Pais das gêmeas siamesas. — Foto: Arquivo pessoal
As bebês Catarina e Débora são gêmeas e nasceram no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia. Elas eram siamesas, unidas pelo tórax e abdômen. As meninas passaram por um procedimento cirúrgico que durou cerca de 4h30 e contou com a participação de 15 profissionais na mesma unidade médica.
As irmãs nasceram na 37ª semana de gestação e compartilhavam apenas o fígado. Juntas, as duas pesavam, no momento do nascimento, 4,785 quilos. Logo após o parto, elas foram encaminhadas para a UTI Neonatal. Nos dias 15 e 16 de setembro, elas foram transferidas para duas unidades médicas de Salvador.  (G1)

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.