"Ele matou com desejo de matar", afirma Davi Gallo sobre acusado de esfaquear Moa de Katendê


A pós o Ministério Público oferecer a denúncia contra Paulo Sérgio Ferreira de Santana, 36 anos, acusado de matar Romualdo Rosário da Costa, 63, conhecido como Moa do Katendê, por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa, promotor de Justiça, Davi Gallo, afirmou na tarde desta quinta-feira (17), que a atitude do acusado foi covarde, por motivo irrelevante e desproporcional: "Ele matou com desejo de matar".
Segundo o promotor, o laudo cadavérico confirmou que o capoeirista foi morto com 13 facadas, na maioria da nuca e tórax. Gallo explicou que os golpes foram iniciados pelas costas, o que impossibilitou a defesa da vítima, além da diferença de porte físico e idade do suspeito e da vítima.
Paulo Sérgio teve a prisão preventiva decretada e o MP pediu a manutenção da prisão por tempo indeterminado. "Se depender de mim, ele vai aguardar o procedimento preso, mas depende da Justiça", afirmou o promotor, que denunciou o acusado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa, no caso de Moa do Katendê e por tentativa de homicídio contra Germino do Amor Divino Pereira, que acompanhava o capoeirista.

Inquérito concluído pelo DHPP

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu o inquérito do caso na última segunda-feira (15) e apontou discussão político-partidário como motivação para o assassinato. O autor foi preso em flagrante pela PM e confessou o crime.

Além do depoimento do acusado, o dono do bar onde aconteceu a morte e a mulher dele confirmaram que posições políticas adversas iniciaram a discussão. Oito testemunhas e Germino, que ficou ferido na discussão, foram ouvidos.
Crime
O mestre de capoeira e militante da cultura negra, Romualdo Rosário da Costa, de 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, morreu após ser esfaqueado em um bar, na região do Dique do Tororó, em Salvador, na madrugada de segunda-feira (8), após o primeiro turno das Eleições 2018. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o crime foi registrado por volta das 0h41, na Avenida Vasco da Gama.

Após Romualdo Rosário da Costa, 63, o Moa do Katendê, anunciar a seu voto, Paulo pagou a conta no bar, foi até a sua residência, voltou ao estabelecimento e acertou o mestre de capoeira com facadas pelas costas. O primo do capoeirista também acabou ferido.

Matérias relacionadas:

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.