Filho de prefeito que agrediu ex-mulher continua solto cinco meses após o crime


Cinco meses após agredir a ex-esposa Clara Emanuele Santos Vieira, 20 anos, o filho do prefeito de Salinas da Margarida, Felipe Fernandes Pedreira, continua solto. Ele teve a prisão preventiva solicitado pelo Núcleo de Proteção à Mulher (NPM), da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Santo Antonio de Jesus, no Recôncavo Baiano, e acatado pela justiça no dia 18 de maio, oito dias após o crime.
Segundo a delegada Patrícia Jackes, do NPM de Santo Antonio de Jesus, o inquérito já foi concluído pela polícia e encaminhado para a Justiça. Indagada se Felipe continuava foragido, Patrícia disse que a prisão preventiva tinha sido revogada.
O Tribunal de Justiça da Bahia confirmou a informação da delegada e afirmou que a decisão de liberar o réu foi da juíza substituta e “cabe as partes entrar com recurso”. O processo corre em segredo de Justiça.
Ao BNews, Clara explicou que não tem nenhuma notícia sobre o caso. A jovem afirmou que “estou em paz” e preferiu não falar sobre o assunto.  BNews
Felipe é acusado de agredir a ex-mulher, Clara, que é filha do prefeito de Muniz Ferreira. Na época, ela contou a reportagem que estava em casa estudando e o suspeito chegou a acusando de ter outro. Segundo a jovem, o ex-marido a espancou com socos e chutes, feriu seus dedos das mãos com uma faca e cortou seus cabelos. Durante as agressões, ele a teria xingado e ameaçado de morte.
"Me bateu muito, cortou meu cabelo, falava o tempo todo que ia me deixar careca e que ninguém mais ia me querer", contou a jovem na época.
A vizinha ouviu a confusão no apartamento e chamou a polícia. A vítima conseguiu fugir para a casa da família, mas foi seguida pelo marido, que arrombou as portas do imóvel, agrediu o pai da jovem e ainda jogou spray de pimenta, que atingiu o filho do casal. O menino precisou ser socorrido, quase desmaiado, para o hospital.
O casal estava separado por conta de outra agressão que ela tinha sofrido em Milagres. Em seu depoimento à polícia, ela explicou que foi agredida pelo marido e ele teria atirado na parede da casa para assustá-la.
A jovem contou que vivia em um relacionamento abusivo durante os três anos de namoro e casamento.
Matérias relacionadas:

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.