Petistas apostam em "3º turno" contra Bolsonaro e especulam Wagner para disputar presidência em 2022


A derrota de Fernando Haddad (PT) abriu uma crise no PT, que está à procura de uma nova identidade para enfrentar a próxima temporada. Após 13 anos e meio à frente do Palácio do Planalto, e com Lula preso, o partido já anuncia uma "oposição sistemática" ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), mas a busca pela hegemonia da esquerda enfrenta reações de antigos aliados.
De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, a cúpula petista vai agora jogar as fichas em sua bancada federal para tentar barrar propostas do novo governo e construir outro projeto de poder, de olhos em 2022. 
No entanto, o tom da estratégia enfrenta resistência entre os que defendem uma guinada mais à esquerda ou moderada.
Haddad nunca contou com a simpatia da cúpula petista. A preferência de Lula para disputar a presidência era por Jaques Wagner (PT), que recusou e se elegeu senador. O ex-governador baiano é cotado para a missão em 2022. 
Ainda segundo a publicação, membros do PT apostam em "terceiro turno" no Congresso e acreditam que Bolsonaro não terminará o mandato.  Por: Ricardo Stuckert/Divulgação

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.