Moro acredita que regras devam ser mais duras para o sistema prisional


O juiz federal Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça, argumentou que, para o sistema prisional deixar de ser "leniente" com pessoas que praticaram crimes graves, é preciso endurecer as regras. A declaração foi dada nesta quinta-feira (8), após reunião com o atual chefe da pasta, Torquato Jardim.
"Evidentemente, a questão carcerária é um problema e nós estamos refletindo sobre ela da forma mais apropriada. É necessário ampliar vagas, é necessário eventualmente ter um filtro melhor", apontou Sérgio Moro. Para ele, pessoas que cometeram homicídios, por exemplo, saem da cadeia antes do tempo que deveriam cumprir a pena.
"É inequívoco que existe no sistema carcerário, muitas vezes, um tratamento leniente ao meu ver a crimes praticados com extrema gravidade, casos de homicídio qualificado de pessoas que ficam poucos anos presas em regime fechado. Para esse tipo de crime, tem que haver um endurecimento", avaliou.
Moro, quando assumir o Ministério da Justiça, ficará responsável pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, pela Polícia Federal (PF) e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre outros. Desde a quarta-feira (7), ele está em Brasília para iniciar a transição de governo e já se reuniu com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e com o presidente eleito Jair Bolsonaro. Por: Isaac Amorim/Ministério da Justiça

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.