Sem Fundos: confira codinomes de envolvidos em esquema da Torre Pituba


Na última sexta-feira (23), a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) deflagraram a operação Sem Fundos, a 56ª fase da Lava Jato. No alvo, estava o esquema de corrupção instalado na construção da sede da Petrobras em Salvador, a Torre Pituba. De acordo com os investigadores, no esquema, as empreiteiras OAS e Odebrecht teram distribuído propina de pelo menos R$ 68.295.866,00 ao PT e a ex-dirigentes da Petrobras e da Petros, fundo de pensão da estatal.
Na decisão que autorizou a operação, a juíza federal Gabriela Hardt cita trechos destacados pelo MPF, que aponta para a existência de codinomes ainda não identificados na planilha que ficava sob responsabilidade do setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. 
Nas propinas pagas no âmbito do esquema, as planilhas informam o montante de R$ 250 mil a "Colmeia" no dia 22 de janeiro de 2015. Na data de 11 de fevereiro de 2015, a empreiteira teria pago R$ 1,2 milhão a uma pessoa de codinome "Camarão".
Outra planilha apreendida indica ainda um pagamento de R$ 254 mil em 19 de novembro de 2014 ao codinome "Abelha"BNews. /

Escrito por Folha de Noticias SAJ

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.