São Silvestre tenta apertar cerco após fraude com números clonados


    A pós declarar guerra aos “pipocas”, como são chamados os corredores sem inscrição, a São Silvestre elevou o tom novamente e promete aumentar o cerco em sua edição deste ano contra fraudes nas numerações de peito.
    A 94ª edição da tradicional prova de rua de São Paulo será realizada na manhã desta segunda (31), com largada e chegada na avenida Paulista.
    A preocupação da organização da São Silvestre com a possibilidade de fraudes cresceu após um caso da edição de 2017 ser revelado pela Folha.
    Ao menos 12 pessoas com camisetas da equipe de corrida Run Up, de Sorocaba (SP), participaram usando um mesmo número de inscrição.
    O episódio é citado como exemplo nos materiais de divulgação do evento: “Após a prova, eventuais fraudadores que duplicarem números, como foi o caso da equipe Run Up em 2017, serão cobrados na Justiça a exemplo do que está acontecendo com os fraudadores da última edição”.
    Entre as medidas que a organização promete reforçar para tentar barrar intrusos está o aumento no número de câmeras e no controle dos participantes nos pontos de acesso.
    A organização diz que não divulga esses números por questões de segurança, mas que haverá câmeras na largada, na chegada e nos seis pontos de hidratação do percurso.
    No período das 5h às 10h serão permitidos apenas atletas com número de peito nos pontos de acesso. Por: Folhapress

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.