Governo Bolsonaro retira controle de erros e libera propaganda em livros didáticos


    O Ministério da Educação do governo de Jair Bolsonaro (PSL) alterou as diretrizes do edital que orienta a produção dos livros escolares para os anos finais do ensino fundamental. Entre outras alterações, não será mais necessário que os materiais tenham referências bibliográficas. Também foi retirado o item que impedia publicidade e erros de revisão e impressão.
     
    De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o item sobre propagandas retirado do edital mencionava que as obras não podiam ter “publicidade, de marcas, produtos ou serviços comerciais”. Dessa maneira, não era permitido incluir ilustrações, mesmo que para análise de texto, por exemplo, de um anúncio publicitário verdadeiro.
     
    Publicado no dia 2 de janeiro, no site do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o novo texto reformula trechos do anterior, que foi aprovado no começo de 2018. Há mais de doze alterações, identificadas pela reportagem da revista Exame, que determinam novos critérios para os livros que devem chegar às unidades de todo país em 2020.
     
    Outro trecho suprimido destacava a necessidade de que as obras tratassem de saúde, sexualidade, vida familiar e social, educação para o consumo, educação financeira e fiscal, trabalho, ciência e tecnologia e diversidade cultural. (BNews)

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment