Hierarquia do Exército pode impedir sucessão de Bebianno no governo Bolsonaro


    A exoneração do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, era esperada para ser publicada nesta segunda-feira (18), no Diário Oficial, porém, não aconteceu. Um dos motivos, segundo o colunista Gerson Camarotti, do G1, pode ser um “conflito na hierarquia do Exército. Conforme o jornalista, o secretário-executivo da pasta, general da reserva Floriano Peixoto é o sucessor natural no comando da Secretaria-Geral da Presidência, no lugar de Bebianno, porém, o  fato de o general ter três estrelas pode ser empecilho para assumir o cargo. 
    Assumindo a Secretaria-Geral, Floriano Peixoto estaria hierarquicamente acima de outro general, Maynard Santa Rosa, que é chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), subordinada à Secretaria-Geral. Mas dentro da hierarquia do Exército, Maynard Santa Rosa, general de quatro estrelas está acima de Floriano Peixoto. “Na minha visão, não pode o general Floriano comandar o general Santa Rosa”, alertou ao blog do Camarotti, um integrante da ala militar do governo.
    Com a saída de Bebianno, Floriano assumirá interinamente a pasta, mas não deve ficar no cargo devido à hierarquia do Exército.
    Gustavo Bebianno é o pivô da primeira crise política do governo do presidente Jair Bolsonaro, gerada pela suspeita de que o PSL, partido de Bolsonaro, fez uso de candidatura "laranja" nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas.
    (BNews)

    Escrito por Folha de Noticias SAJ

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment