PF fecha garimpo durante operação que investiga extração ilegal de ouro no TO


    A extração ilegal de ouro na região de Natividade, cidade histórica do Tocantins, levou a Polícia Federal a realizar a Operação Rota do Ouro, na manhã desta terça-feira (23). São cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 12 de intimação nos estados do Tocantins, São Paulo, Bahia, Pará e no Distrito Federal.
    Segundo a polícia, a investigação teve início com uma fiscalização realizada pela PF e o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Um garimpo ilegal localizado na zona rural de Chapada da Natividade foi fechado.
    A investigação aponta que o ouro extraído de forma ilegal tinha como destino o estado de São Paulo e outros países.
    A PF informou que a Justiça autorizou o bloqueio nas contas bancárias dos envolvidos com o objetivo de recuperar os valores do ouro extraído e reparar os danos ambientais causados com a extração. A polícia afirmou que a população local tem sofrido com os danos ambientais e contaminação com metais pesados utilizados pela garimpagem.
    Os investigados, que não tiveram os nomes revelados, devem responder pelos crimes de usurpação de bens da União, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

    A operação é realizada nas seguintes cidades:

    • Natividade (TO) - um mandado de intimação
    • Chapada da Natividade (TO) - um mandado de intimação e um de busca e apreensão
    • São Paulo (SP) - dois mandados de intimação e dois de busca e apreensão
    • Limeira (SP) - três mandados de intimação e três de busca e apreensão
    • Cordeirópolis (SP) - um mandado de intimação e um de busca e apreensão
    • Maria das Barreiras (PA) - um mandado de intimação e um de busca e apreensão
    • Paraopebas (PA) - um mandado de intimação e um de busca e apreensão
    • Brasília (DF) - um mandado de intimação e um de busca e apreensão
    • Campo Formoso (BA) - um mandado de intimação

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment