Fabíola Mansur difere greve nas estaduais de cortes nas universidades federais


    A deputada estadual Fabíola Mansur (PSB) defendeu nesta quinta-feira (30) o governador Rui Costa e negou que ele aja igual ao presidente Jair Bolsonaro na forma como trata a greve de professores das universidades estaduais. 
    Segundo a parlamentar, a diferença entre os dois é que Rui busca diálogo para resolver a questão e valoriza a educação, enquanto Bolsonaro pensa em fazer “revanchismo ideológico” ao contingenciar o orçamento das instituições de Ensino Superior federais. 
    “Aqui ninguém questiona a prioridade da educação para o desenvolvimento da Bahia, da creche ao Ensino Superior. Lá, é um corte revanchista, ideológico. Ele [Bolsonaro] precisa descer do palanque e governar para todos e priorizar o que for necessário”, defendeu Fabíola, que é aliada de Rui, ao participar do ato contra os cortes na educação, realizado nesta manhã, no bairro do Campo Grande, em Salvador. As manifestações acontecem em outras regiões do país. 
    Presidente da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), ela frisou, ainda, que o colegiado tem intermediado as negociações entre o governo do Estado e os professores para dar fim à greve. Disse também que as manifestações são uma forma de lutar contra o “obscurantismo” da gestão Bolsonaro. 
    “Nós precisamos dizer que a educação é resistir, que queremos mais investimentos para a educação e que a gente não concorda com essa reforma da previdência que está aí, que não corta privilégios. Temos que voltar às ruas contra o obscurantismo, ao mercado que se sobrepõe às coisas mais importantes, como saúde, educação, segurança pública e emprego”, afirmou. /BNews

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment