Envolvidos em assalto que resultou na morte de PM reformado são liberados após audiência de custódia


    Três acusados de participação em um assalto ocorrido dentro de um ônibus (linha Paripe-Aeroporto), na Estrada Velha do Aeroporto, em Salvador, que resultou na morte do policial militar reformado Milton de Sousa Silva, no dia 27 de maio, foram soltos após passarem por audiência de custódia. Os alvarás de soltura foram expedidos pelo juiz plantonista Ícaro Almeida Matos, no sábado (1º).
    Com a decisão, Iure Souza Oshoi, o "China"; Lucas de Jesus Caldeira; e Alan Henrique Bastos Santos, o "Galego", responderão ao processo em liberdade, contrariando o pedido de prisão preventiva emitido pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). O trio foi detido por equipes do Comando de Operações Policiais Militares (COPPM) e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no dia 31 de maio.
    Audiência - A audiência de custódia não analisa o crime e sim a legalidade das circunstâncias da prisão. No despacho, que anula o Auto de Prisão em Flagrante (APF), o juiz plantonista afirma que "a atuação policial ocorreu sem, precisamente, sabermos como, em que situação cada abordagem e apreensão se deu". A defesa de Iure pediu o relaxamento da prisão em virtude de invasão de domicílio, enquanto que a de Alan e Lucas pugnou por medidas cautelares.

    Conforme justifica do magistrado, a polícia, de poder das informações colhidas, deveria ter instaurado inquérito, solicitando medidas cautelares, como busca e apreensão e até mesmo prisão cautelar. "Jamais deveriam proceder à dita continuidade da investigação por fato diverso da iniciada (e em curso), realizando prisões de pessoas diversas das inicialmente investigadas", consta no documento.

    Drogas e arma - Segundo a polícia, o primeiro a ser detido foi um adolescente conhecido como Capenga, que teria assumido a autoria do disparo. Ainda segundo a polícia, após ser localizado, Capenga indicou o paradeiro dos comparsas. China, que atuou como motorista dando cobertura na ação criminosa, ‘Galego’ (que agiu diretamente no assalto) e Lucas (também no apoio) foram localizados em Cajazeiras e São Cristóvão. Drogas e o revólver utilizado no crime foram aprendidos com a quadrilha. Durante o depoimento à polícia, os envolvidos afirmaram que o mentor e lider da quadrilha seria um homem identificado como 'Gaer', que não foi localizado. /

    Por: Reprodução

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment