Intercept: Lava Jato cogitou vazamentos para tentar minar imagem de Raquel Dodge


    Integrantes da Operação Lava Jato de Curitiba trataram a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, como entrave à operação e planejaram minar sua imagem por meio de vazamentos de informação na imprensa. As mensagens foram divulgadas na tarde de hoje pelo site do jornal El País, em conjunto com o The Intercept Brasil.
    “Caros. O barraco tem nome e sobrenome. Raquel dodge”. A frase, escrita pelo procurador Januário Paludo a seus colegas da Operação Lava Jato em um chat do Telegram em 11 de março deste ano, revela que Dodge era vista como uma espécie de inimiga interna pela própria operação. 
    Segundo jornal, os procuradores chegaram a discutir a possibilidade de repassar informações secretamente a jornalistas para pressioná-la a liberar ao STF delações, entre elas, a de Léo Pinheiro, da construtora OAS, uma testemunha-chave de casos que incriminam o ex-presidente Lula.
    A reportagem também mostra que em 20 de junho de 2017, dias antes de Dodge ser apontada para o cargo pelo então presidente Michel Temer (MDB), Deltan diz aos colegas: "Bastidores: - Raquel Dodge se aproximou de Gilmar Mendes e é a candidata dele a PGR", escreve o procurador. Em outra conversa, o coordenador da Lava Jato afirma que Dodge só não confronta Mendes porque "sonha" com uma cadeira no Supremo. /BNews

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment