Três prefeitos baianos são punidos por acumulação de cargos por um único servidor


    Os prefeitos das cidades de Saúde, Ourolândia e Mirangaba, localizadas no Centro-Norte Baiano, foram punidos pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), nesta quarta-feira (02), após um vereador denunciar que um servidor acumulava diversos cargos públicos nos três municípios.
    O conselheiro Fernando Vita, relator do parecer, determinou a formulação de representação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). Os conselheiros do TCM aprovaram, ainda, a aplicação de multa no valor de R$ 2 mil a cada um dos prefeitos. A decisão cabe recurso.
    Na defesa, Sérgio Luiz da Silva Passos (PSDB), prefeito de Saúde, João Dantas de Carvalho (MDB), prefeito de Ourolândia e Adilson Almeida Nascimento (MDB), prefeito de Mirangaba, não conseguiram descaracterizar a irregularidade. 
    Denúncia
    Segundo o TCM, o caso foi denunciado pelo vereador de Saúde, Claudiano de Menezes, que relacionou os cargos de seu conhecimento que o “polivalente e onipresente” servidor Lucas Dias Bezerra ocupava ilegalmente nos três municípios da região. 

    Em Saúde, tinha a responsabilidade de coordenar o Serviço de Atenção Básica (40 horas semanais de trabalho). Nos intervalos deste trabalho, era pago como fonoaudiólogo (por 20 horas no exercício da profissão) pela prefeitura de Mirangaba. 
    Para completar a extensa carga de trabalho agora como fisioterapeuta, em Ourolândia, ele prestava 20 horas semanais. Ainda segundo a denúncia, Lucas encontrou tempo, em outubro de 2016, para atuar na Unidade Básica de Saúde de Taquarandi, pertencente ao município de Mirangaba, com carga semanal de 30 horas.  / Por: Reprodução / Google Street View

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment