Advogado de Flávio Bolsonaro diz que caso Adriano é mais grave que morte de menina Ágatha


    O advogado de Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro, Frederick Wassef, defendeu a federalização das investigações sobre a morte do ex-policial Adriano da Nóbrega, além de pedir que o Ministério da Justiça seja acionado.
    Segundo ele, o ex-capitão do Bope era um cidadão inocente e que o caso é "muitíssimo mais grave" do que o de Ágatha Félix, de 8 anos, morta por um tiro disparado pela Polícia no Complexo do Alemão.
    "Um cidadão inocente que foi brutalmente torturado e posteriormente assassinado, com a conivência de, certamente, altas autoridades", disse Wassef nesta terça-feira (18). As informações são da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.
    "A vida humana é preciosa e ninguém vale mais do que ninguém. Mas o que estou dizendo é que é absolutamente impossível e incomparável uma cena de perseguição policial em favela carioca e troca de tiro com uma situação de uma diligência com autorização e participação do governo da Bahia", completou o advogado.
    Também nesta terça, Bolsonaro afirmou que tomou providências legais para que seja realizada uma perícia independente no corpo de Adriano. "Não é só uma perícia independente que precisa, tem que ter participação do Ministério da Justiça, investigação federal. Quem teme a verdade?",concluiu Wassef. / Por: Reprodução/Internet
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment