Justiça torna réus acusados de matar índio Guajajara no Maranhão


    A Justiça Federal no Maranhão aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra dois acusados de terem assassinado o indígena Paulo Paulino Guajajara, na terra Araribóia, em Bom Jesus das Selvas, em novembro do ano passado. Os dois se tornaram réus no processo. 
    A informação foi confirmada pelo o jornalista e colunista Lauro Jardim, do O Globo, na manhã desta terça-feira (24). A ação contra o indío foi uma represália promovida por Antônio Wesly, Raimundo Nonato e Márcio Gleik, por dias antes, terem tido suas motos danificadas por Paulino e o também indígena Laércio Sousa, que atuavam como guardiões da floresta. O trio entraram armado na terra indígena para caçar e extrair madeira.
    Na ocasião do crime, Wesly e Nonato mataram Paulino Guajajara, assassinaram Gleik por engano e balearam Sousa, que sobreviveu. Em sua decisão, o juiz Luiz Bomfim Filho alegou que o crime pode não ter sido motivado apenas por um desentendimento esporádico já que “as vítimas exerciam aparentemente um papel de liderança perante a comunidade indígena”. /Por: Patrick Raynaud/APIB

    Escrito por folha

    Seu Portal informativo, aqui você bem informado.



      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comments:

    Post a Comment