Adriana Araújo deixa bancada do Jornal da Record depois de 14 anos


    A jornalista Adriana Araújo deixou a bancada do "Jornal da Record", principal telejornal da Record, após 14 anos. A informação foi antecipada pelo colunista Flávio Ricco, do portal R7. A jornalista fará a apresentação do "Repórter Record Investigação". 
    "Hoje só tenho uma palavra a dizer pra fechar um ciclo de 14 anos: obrigada! Muito obrigada, sempre! Levo comigo memórias de momentos que marcaram a minha carreira, o respeito e a torcida que recebi de tanta gente, amigos da redação e do público. E a certeza que ofereci o melhor que havia em mim: trabalho e verdade. A todos que se preocupam comigo, fiquem tranquilos. Estou bem e serena. Que bons ventos me levem...", escreveu Adriana, em seu perfil. Christina Lemos assume a bancada do "JR" no lugar de Adriana Araújo. 
    Nos bastidores da TV o burburinho é de que a saída da jornalista da bancada se deu após ela ter feito cobranças ao governo sobre dados do novo coronavírus. No início de junho, Adriana fez críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas redes sociais sobre o atraso e a falta de transparência na divulgação dos dados da pandemia do novo coronavírus no Brasil. "É uma questão de saúde pública saber o que está acontecendo no Brasil agora. É muito importante para todos nós", disse Adriana em uma publicação em seu perfil no Instagram. Ela explicou que fez o post porque os números só foram divulgados após o Jornal da Record. 
    Desde maio, também circulam rumores sobre um suposto convite da CNN Brasil a jornalista Adriana Araújo. Porém, diretores do próprio canal de notícias, que foram companheiros dela na Record, afirmaram que não existiu convite nenhum nem mesmo qualquer conversa. /Por: Reprodução // RecordTV
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment