Estudo atesta que grupo sanguíneo A aumenta risco de coronavírus


    Um estudo desenvolvido por médicos de sete hospitais italianos e espanhóis, que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), apontou que pessoas do tipo sanguíneo A tem 50% mais chances de necessitar de ajuda respiratória ao ser infectado pelo no coronavírus. Já as do tipo O tem 35% menos riscos, conforme publicação na revista norte-americana New England Journaul of Medicine (NEJM).
    Os profissionais constataram que o grupo sanguíneo é um dos agentes que pode agravar o estado de infecção causado pelo vírus.De acordo com a IstoÉ, quase 2 mil pacientes hospitalizadas nas UTIs com Covid-19 foram comparadas com 2.205 pessoas sem a doença. Após a confrontação, os médicos notaram que o grupo sanguíneo pode ser um fator que aumenta ou diminui as possibilidades de agravamento no estado de saúde.
    “Os resultados deste estudo permitem avançar na identificação dos pacientes de maior risco que necessitarão de internação em UTI, assim como conhecer melhor a fisiopatologia da doença mediante a identificação destes genes implicados”, explica Ricard Ferrer, presidente da Sociedade Espanhola de Medicina Intensiva, Crítica e Unidades Coronárias (SEMICYUC). / BNews 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment