Leo Prates considera grave pedido de Bolsonaro para invadir hospitais


    O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, considera "grave" o pedido que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez à população durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais na semana passada. Bolsonaro pediu para que apoiadores entrassem em hospitais públicos ou de campanha e filmassem os leitos destinados ao atendimento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. 
    "Tem hospitais de campanha perto de você, tem um hospital público, né? Arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente vem fazendo isso, mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados, ou não", comentou o presidente sugerindo que a população criasse provas pra atestar que "gestores estão tirando proveito da pandemia". 
    "O presidente Bolsonaro, na minha visão, erra. Coloca em cheque toda uma categoria que, inclusive, na sua grande maioria, fez campanha para ele. Veja a gravidade do que ele está falando. Pedindo para invadirem os hospitais, o que é uma coisa grave, para olhar se tem ou não [pacientes] (...) Coloca em risco a vida daquelas pessoas que o seguem e o amam porque eles podem se contaminar. Lamento muito que um presidente que ganhou de forma democratica não tenha a compreensão da grandeza do cargo que ocupa", comentou Prates.
    Em ofícios assinados no domingo (14), o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou a instauração de procedimentos para apurar eventuais responsabilidades por invasões a hospitais destinados ao tratamento de pacientes com covid-19. / Por: Redação Bnews
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment