Qualquer manifestação é legítima, desde que seja ordeira, avalia Guanabara sobre carreata de lojistas


    Na manhã desta sexta-feira (19), uma carreata formada por lojistas de shoppins centers saiu às ruas de Salvador para pressionar a prefeitura a abrir por completo os centros de compras que, por decreto, funcionam apenas no esquema de drive thru. O prefeito ACM Neto deu a opinião sobre o assunto em entrevista ao BnewsEle afirmou que "nada na cidade vai funcionar sob pressão". 
    Durante entrevista à rádio Metrópole FM, o secretário municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Sérgio Guanabara, avaliou a manifestação como legítima, "desde que ela seja ordeira". Guanabara afirmou ainda que a prefeitura tem um diálogo aberto com os donos dos shoppings e que trata o retorno das atividades de maneira "institucional", analisando o nível de contaminação do espaço.
    "É dessa forma que compreendo. Agora, nós estamos tratando de forma institucional esse assunto com os representantes dos shoppings centers. Não foi uma ou duas reuniões, foram várias. Temos um canal aberto com eles [donos de shoppings], temos um grupo no WhatsApp que estamos tratando essas questões, assim como os lojistas. Com eles [lojistas], estamos tratando com a Fecomércio e com a CDL. Estamos tratando interesses que são da comunidade, dessa classe empresarial. Não estamos falando apenas dos lojistas dos shoppings, mas, também, do comércio de rua", explicou o secretário. 
    Os lojistas pedem, além do retorno das atividades, a insenção de pagamento do IPTU e Taxa de Fiscalização do Funcionamento (TFF). Alguns shoppings já apresentam um protocolo de segurança traçado para receber os clientes. Guanabara afirmou que os bares também possuem o mesmo plano sanitário. "Avançamos muito no protocolo de bares e restaurantes. A Abrasel esteve em contato com a gente discutindo essas questões e eles nos enviaram muitos materiais de outros estados (...) Então, estamos tratando esses assuntos de forma instituicional", completou. 
    A volta dos serviços, no entanto, depende do aval do prefeito ACM Neto que afirma que este não é melhor momento para a retomada da economia de alguns setores. Ele diz escutar as orientações das autoridades de saúde que trabalham junto à gestão analisando o comportamento do vírus na capital baiana, epicentro da doença no estado. Comumente, utiliza como justificativa o aumento dos casos em capitais que decidiram reabrir o comércio, como Belo Horizonte. /Bnews 
    Veja vídeo de manifestação:
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment