Três cidades do Recôncavo baiano vão coibir festejos juninos

    Reprodução
    Ao menos três cidades do Recôncavo baiano acataram recomendação do Ministério Público estadual e publicaram decretos com medidas para evitar aglomeração em comemorações juninas.
    Em entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, nesta terça-feira (22), o promotor de Justiça Thiago Cerqueira Fonseca afirma que as prefeituras de Santo Antônio de Jesus, Varzedo e Mutuípe fiscalizarão atividades típicas do período. A cidade de Dom Macedo Costa também deve adotar medidas. "Essas cidades têm forte apelo de São João. Identificamos que a queima de fogos e o acendimento de fogueiras pode prejudicar a saúde da população", argumenta o Fonseca.
    O promotor ressalta que a restrição é mais uma ação preventiva de combate ao coronavírus. "Pessoas que peguem a doença podem ter o agravamento do quadro, superlotando o sistema de saúde e colapsando a rede", pontua. Fonseca acrescenta que as prefeituras terão poder de polícia. "Entre os comerciantes pode ocorrer cassação de alvará e aplicação de multa. A conversa com os prefeitos é para que façam uma atuação mais intensiva na zona urbana porque é onde as fogueiras ficam mais próximas umas das outras e há maior circulação de pessoas. Na zona rural, dentro do possível, será feita a fiscalização".
    Thiago Fonseca reconhece o aspecto cultural dos festejos juninos, mas reitera que o momento é de preservar vidas. "Se temos comércio e circulação restritos, essa medida é mais uma restrição para um período de crise. Não adianta os gestores tomarem providências se a população não se conscientizar, acatar e entender que a situação é grave", reforça.(BNews)

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment