Aliados de Bolsonaro defendem tirar Salles do Ministério do Meio Ambiente adotando "solução Weintraub"



    Embora o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha declarado que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, permanece no governo, assessores do presidente admitem que a situação do titular da pasta está desgastada. É o que revela a jornalista Andreia Sadi, em seu blog no portal G1, nesta sexta-feira (17).
    O Brasil tem sido cobrado para que promova mudanças em sua política ambiental. Na avaliação de integrantes do governo ouvidos pela publicação, empresários e investidores têm mantido interlocução sobre as questões do Meio Ambiente com o vice-presidente, Hamilton Mourão, e isso tem esvaziado os poderes de Salles.
    Embora diga que Salles permanece no cargo, Bolsonaro segue buscando saídas para a situação do ministro. Aliados do presidente afirmam que Bolsonaro e seus filhos, gostam de Salles e resistem à troca por afinidade ideológica – algo que aconteceu como o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub.
    Também segundo a  jornalista, conselheiros do presidente defendem que Salles seja realocado internamente ou ganhe um cargo fora, assim como aconteceu com Weintraub, que foi indicado para o Banco Mundial. A estratégia foi apelidada nos bastidores de “solução Weintraub”.
    No último dia 6, procuradores da República pediram à Justiça Federal o afastamento do ministro do cargo por improbidade administrativa. Ele é acusado de promover uma "desestruturação dolosa das estruturas de proteção ao meio ambiente".  /Por: Reprodução/ Lula Marques  Por: Redação BNews
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment