Após ser chamado de "lixo" e "merda", PM processa empresário de Alphaville


    O sargento da Polícia Militar de São Paulo, Daniel Dias do Nascimento, que foi chamado de “lixo“, “bosta” e “merda” pelo empresário Ivan Storel, durante uma ocorrência em maio deste ano, entrou com uma ação na Justiça pedindo R$ 50 mil de indenização. O PM foi ao local após uma denúncia de violência doméstica.
    Na ação, o agente afirma que o réu “além de não atender à ordem policial, proferia inúmeros xingamentos, tais como “policiais de bosta, merda”, “vou chutar sua cara seu filho da puta”, “você é um lixo”, eu “ganho 300 000”e “PM ganha 1 000″‘.  
    Na ocasião o empresário chegou a falar que o policial "pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano“. Ele chegou a ser lavado para a delegacia e responde criminalmente por desacato.
    Dias depois Storel chegou a gravar um vídeo pedindo perdão pelos atos, e dizendo no dia do ocorrido estava sob efeito de remédios e álcool. “As palavras do réu, em diversas oportunidades, foram inclusive mais ofensivas que uma agressão física, pois visavam menosprezar o autor (sargento) como pessoa e como profissional. Bradava, para que todos ouvissem, que sua condição econômica (e seus contatos com os poderosos locais) o alçava como um ser superior aos demais, não estando ao alcance da lei”, escreveu a advogada Leticia Prass, que defende o PM.
    O juiz José Maria de Aguiar Júnior, do Foro de Santana de Parnaíba, aceitou o recebimento da ação e concedeu gratuidade jurídica ao autor. Ivan Storel tem quinze dias para se manifestar, sob pena de o caso ser julgado a revelia. / Por: Reprodução/Facebook 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment