Aras bate-boca com subprocurador após criticar Lava Jato: "Não aceitarei ato político"


    O  procurador-geral da República, Augusto Aras, e o subprocurador Nicolao Dino discutiram nesta sexta-feira (31), no início da reunião do Conselho Superior do Ministério Público. Dino disse que o procurador-geral da República "fez graves afirmações em relação ao funcionamento do Ministério Público Federal".
    "Vossa Excelência, com o peso da autoridade do cargo que exerce, e evocando o pretexto de corrigir rumos ante os supostos desvios das forças-tarefas, fez graves afirmações em relação ao funcionamento do Ministério Público Federal em debate com advogados" vociferou o subprocurador para Aras.
    Aras tentou minimizar: "Conselheiro Nicolao Dino, essa sessão é para o orçamento. Solicito a Vossa Excelência que reserve suas manifestações pessoais e de seus colegas, meus colegas, para após a sessão…".
    Nicolao Dino retrucou: "O regimento interno me faculta o uso da palavra no início da sessão".
    O PGR, então, disse que "após a sessão do orçamento" o subprocurador teria a palavra e iria "replicar os pretextos" com documentação em mãos "para acabar com qualquer dúvida a cerca dos fatos".
    "Terei o maior prazer de ouvir Vossa Excelência como sempre tive ao debater com Vossa Excelência…", respondeu Dino.
    Aras voltou a rebatater. "Não aceitarei ato político numa sessão de orçamento…", disse, ao que foi respondido. "Isso não é ato político, isso é uma manifestação…", finalizou o subprocurador.
    A sessão continuava até a publicação desta reportagem. Nesta semana, Aras criticou fortemente a Lava Jato, afirmando que a força-tarefa de Curitiba funciona como uma “caixa de segredos” e que tem 350 terabytes em informações, contra 40 terabytes de todo o MPF. /Por: Arquivo/TV 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment