"Minhas campanhas foram todas dentro da lei", diz Alckmin após se indiciado por corrupção


    Depois de ter sido indiciado pela Polícia Federal nesta quinta-feira (16) sob suspeita da prática dos crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSD) afirmou, em entrevista à CNN Brasil, que suas campanhas eleitorais foram financiadas de maneira legal e que irá prestar contas.
    "As minhas campanhas tanto de 2010, tanto de 2014, quanto de 2018, foram rigorosamente dentro da lei (...) Não fui nem sequer ouvido, mas vou prestar contas", disse Alckmin. 
    O indiciamento teve como base provas como os depoimentos de ex-executivos da Odebrecht durante delação, análises periciais no sistema de informática da empreiteira baiana, extratos telefônicos, conversas pelo aplicativo Skype e ligações telefônicas.
    Questianado pela equipe da CNN se acreditava que a acusação tem motivação política, já que, semanas atrás, vieram à tona denúncias contra o também ex-governador José Serra (PSDB), Alckmin disse que não já que é "um dos que defendem as instituições". 
    Além de Alckmin, foram indiciados o ex-tesoureiro do PSDB Marcos Antônio Monteiro e o advogado Sebastião Eduardo Alves de Castro. O ex-governador estava na emissora para uma entrevista quando foi informado pela reportagem do indiciamento.
    Leia também:
    Depoimento de Witzel à PF foi marcado por tensão   / Por: Ciete Silvério/Fotos Públicas 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment