"Página virada", diz Flávio Bolsonaro sobre investigações da PF

    Pedro França/Agência Senado
    Flávio Bolsonaro classificou o inquérito que apura se ele recebeu informações privilegiadas da Operação Furna da Onça como uma “página virada”.
    Na saída do Ministério Público Federal (MPF), onde ele foi ouvido nesta segunda-feira (20), o senador defendeu uma investigação contra o coordenador de campanha do presidente Jair Bolsonaro, o empresário Paulo Marinho, autor da denúncia que deu origem ao inquérito.
    Segundo a versão de Marinho, Flávio foi informado com antecedência, em 2018, por um delegado da PF sobre a operação que mirou o ex-assessor Fabrício Queiroz, investigado por fazer parte de um esquema de “rachadinhas” no gabinete do então vereador.
    O delegado que passou as informações antecipadas, ainda segundo a versão do empresário, seria um apoiador do presidente e teria atrasado a operação para não prejudicar a campanha eleitoral de Bolsonaro. 
    Marinho é o primeiro suplente da vaga de Flávio no Senado. Atualmente, ele é pré-candidato a prefeito do Rio de Janeiro pelo PSDB.
    "Ele está mais interessado na minha vaga no Senado do que em tomar conta da própria vida. Ele é pré-candidato a prefeito do Rio pelo PSDB. As pessoas têm que entender que têm que construir a vida política pelos próprios méritos", criticou.
    A Operação Furna da Onça foi um desdobramento da Lava Jato que investigou suspeitas de corrupção entre deputados e empresas privadas, além do loteamento de cargos em órgãos públicos. (BNews)
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment