Partido de Bolsonaro não tem apoio em mais da metade dos estados do Nordeste; adesão nacional é de 3,2%

    Marcello Casal Jr/Agência Brasil
    Em 12 de novembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou sua saída do PSL, partido pelo qual havia sido eleito em 2018, e sinalizou a intenção de criar um partido para chamar de seu, o “Aliança pelo Brasil”. Oito meses após o início do périplo por assinaturas, a pretensa sigla não possui apoiadores em 13 estados do Brasil, cinco deles no Nordeste: Acre, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e Tocantins. Os dados são da Seção de Gerenciamento de Dados Partidários do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 
    Na Bahia, foram registradas assinaturas de 660 apoiadores, de acordo com dados do Tribunal. O Nordeste do país é a segunda região com menos apoiadores ao partido do presidente, com um total de 1.715. Nessa região, o estado com o maior número de apoiadores é a Paraíba, seguida pela Bahia, Maranhão e Alagoas.
    Apoio ao Aliança pelo Brasil no Nordeste: 
    Alagoas - 75
    Bahia - 660
    Ceará - 0
    Maranhão - 178
    Paraíba - 802
    Pernambuco - 0
    Piauí - 0
    Rio Grande do Norte - 0 
    Sergipe - 0
    No geral, a futura sigla de Bolsonaro reuniu em todo o país apenas 15.816 assinaturas, o que representa 3,2% do total de 492.015 assinaturas necessárias. Segundo a lei nº 9.096/1995, são necessárias assinaturas correspondentes a 0,5% dos votos válidos da última eleição geral para a Câmara para legitimar o novo partido. Além disso é preciso que o apoio seja comprovado, no mínimo, em nove estados do país e com o mínimo de 0,1% do eleitorado votante do estado.
    É no Distrito Federal que a legenda tem o maior número de apoiadores aptos, com 3.235 assinaturas, de acordo com o TSE. E a região Sul do Brasil é onde o Aliança pelo Brasil coleciona mais apoiadores, contrastando com a região Norte, que tem a menor fatia de adeptos.
    Veja o número de apoiadores aptos do partido por região e UF:
    Nordeste: Alagoas-75; Bahia-660; Ceará-0; Maranhão-178; Paraíba-802; Pernambuco-0; Piauí-0; Rio Grande do Norte-0; Sergipe-0 = 1.715 apoiadores aptos
    Sudeste: Espírito Santo-0; Minas Gerais-1.357; Rio de Janeiro-270; São Paulo-705 = 2.332 apoiadores aptos
    Sul: Santa Catarina-2.553; Rio Grande do Sul-2.185; Paraná-1.253 = 5.991 apoiadores aptos
    Centro-Oeste: Mato Grosso-0; Mato Grosso do Sul-1.639; Goiás; Distrito Federal- 3.235 = 4.874 apoiadores aptos
    Norte: Acre-0; Amapá-0; Amazonas-608; Pará-0; Rondônia-296; Roraima-0; Tocantis-0 = 904 apoiadores aptos
    De acordo com dados da Seção de Gerenciamento de Dados Partidários do TSE, 25.386 assinaturas foram rejeitadas [existem 26 razões diferentes que impediram a confirmação]. Dentre os motivos para fichas de apoio terem sido rejeitadas estão: utilização de documentos de pessoas que já morreram.
    O jornal Correio Braziliense afirmou que 44 apoiamentos foram rejeitados por "eleitor falecido", 150 por "eleitor inexistente". Contudo, segundo o jornal, o principal motivo para o número de assinaturas rejeitadas é pelo fato de as pessoas já estarem filiadas a outro partido existente. Teriam sido rejeitadas 18.112 fichas por esse motivo
    Motivos para rejeitar assinaturas:
    - Eleitor filiado a outro partido  
    - UF divergente da informada no Cadastro Eleitoral
    - Apoiamento já registrado    
    - Assinatura divergente   
    - Eleitor cancelado    
    - Informações incompletas do coletor de assinatura  
    - Ficha de apoiamento não apresentada    
    - Nome do eleitor divergente    
    - Eleitor suspenso   
    - Ficha de apoiamento sem o nome de quem colheu a assinatura    
    - Eleitor inexistente     
    - Eleitor falecido    
    - Informações do eleitor não encontradas ou insuficientes para validação     
    - Zona eleitoral do eleitor incorreta     
    - Ausência da via original da ficha de apoiamento     
    - Informação sobre alfabetização do eleitor divergente     
    - Título de eleitor divergente     
    - Ficha de apoiamento sem assinatura do eleitor     
    - Eleitor não vota há muito tempo e/ou não fez o recadastramento biométrico     
    - Número da zona divergente          
    - Eleitor não vota há muito tempo    
    - Título de eleitor inválido    
    - Data do apoio não informada na ficha de apoiamento     
    - Eleitor não liberado    
    - Eleitor de outra UF     
    - Ausência de Requerimento de Alistamento Eleitoral e de caderno de votação com a assinatura do eleitor
    Uma ficha de apoiamento pode ser rejeitado por mais de um motivo
     (Marcio Smith)
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment