Twitter afirma que vai recorrer de decisão que bloqueou conta de bolsonaristas


    A pós o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ampliar a alcance da decisão que determinou a exclusão de contas de 16 aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, o Twitter afirmou, através de nota divulgada na última quinta-feira (30), que irá recorrer da decisão.
    "Embora não caiba ao Twitter defender a legalidade do conteúdo postado ou a conduta das pessoas impactadas pela referida ordem, a empresa considera a determinação desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil e, por isso, irá recorrer da decisão de bloqueio", disse o Twitter.
    As contas, bloqueadas internacionalmente, pertencem a investigados por suposta disseminação de fake news nas redes sociais.
    Segundo informações do G1, a medida foi tomada porque alguns dos investigados tentaram driblar a ordem do STF e mudaram as configurações de localização das contas para outros países e continuaram a publicar mensagens.
    O presidente Jair Bolsonaro chegou a questionar a medida no STF um dia depois de o Twitter e o Facebook terem cumprido a decisão.

    Foram bloqueados:
    - Roberto Jefferson, ex-deputado e presidente nacional do PTB
    - Luciano Hang, empresário
    - Edgard Corona, empresário
    - Otávio Fakhoury, empresário
    - Edson Salomão, assessor do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia
    - Rodrigo Barbosa Ribeiro, assessor do deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia
    - Bernardo Küster, blogueiro
    - Allan dos Santos, blogueiro
    - Winston Rodrigues Lima, militar da reserva
    - Reynaldo Bianchi Júnior, humorista
    - Enzo Leonardo Momenti, youtuber
    - Marcos Dominguez Bellizia, porta-voz do movimento Nas Ruas
    - Sara Giromini
    - Eduardo Fabris Portella
    - Marcelo Stachin
    - Rafael Moreno 

     Por: Reprodução/Globo News 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment