Após negar recurso, STJ mantém Sérgio Camargo no comanda da Fundação Palmares


    O Superior Tribunal de Justiça negou, nesta quarta-feira (5), um recurso da Defensoria Pública da União (DPU) para retirar Sérgio Nascimento de Camargo da presidência da Fundação Cultural Palmares. Os ministros não chegaram a debater o caso, apenas concordaram em rejeitar o recurso.
    De acordo com informações do G1, a Defensoria argumentou que a gestão de Sérgio Camargo "desviou a Fundação Cultural Palmares de suas finalidades legais e dos imperativos que devem reger a administração pública".
    Sérgio Camargo já esteve envolvido em uma série de polêmicas desde que assumiu o cargo em 27 de novembro de 2019, como por exemplo, ataques ao movimento negro, às cotas raciais e a símbolos da luta negra no Brasil como o próprio escravo fugido Zumbi dos Palmares, que dá nome ao órgão.
    Criada em 1988, a Fundação Cultural Palmares busca promover e preservar os valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira.
    Em uma de suas publicações nas redes sociais, Camargo chegou a classificar o racismo no Brasil como ‘’nutela’’. "Racismo real existe nos Estados Unidos. A negrada daqui reclama porque é imbecil e desinformada pela esquerda", afirmou. "Negros do Brasil vivem melhor que os negros da África", disse em outra publicação. / Por: Reprodução/Facebook 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment