Atritos de Bolsonaro e Guedes não são comparáveis a embates com Moro e Mandetta, diz auxiliar do presidente


    Os atritos que Jair Bolsonaro vêm tendo com o ministro da Economia Paulo Guedes não podem ser comparados às desavenças públicas que o presidente tinha com os ex-ministros Sérgio Moro, da Justiça, e Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, que abandonaram a embarcação virando a cara pro comandante. Essa é a avaliação que um auxiliar próximo a Bolsonaro fez para a coluna da Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.
    Diferentemente do que ocorria com os dois, Bolsonaro tem admiração por Guedes, pessoa que confiou cegamente na esperança do País caminhar por novas direções. O mesmo, no entanto, ainda segundo o auxilar, não ocorria com Mandetta e especialmente com Moro. Quando o ex-juiz saiu do governo, o presidente já não teria nenhum apreço na época da demissão.
    O único problema do chefe da Economia, ainda segundo a avaliação, é pensar que é ele o presidente da República, e não Bolsonaro. O auxiliar cita frase já dita pelo ministro, de que “confia” no presidente, para ilustrar o problema. Sendo assim, a intenção do presidente é apenas enquadrá-lo e não demiti-lo.  / Por: Reprodução/Instagram 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment