“Continuaremos trabalhando com isenção”, afirma Angelo Coronel sobre CPMI das Fake News


    “Recebi com naturalidade essa decisão. Não é a primeira tentativa dos radicais bolsonaristas de acabarem com a CPMI de combate às Fake News. Continuaremos trabalhando dentro da total isenção e quem estiver errado que pague”, afirmou o senador, nesta segunda-feira (17).
    O pedido de afastamento foi feito pelos deputados Beatriz Kicis (DF), Alê Silva (MG), General Girão (RN), Aline Sleutjes (PR), Carlos Jordy (RJ), Luiz Ovando (MS) e Carla Zambelli (SP). 
    “Esse grupo radical que entrou com ação já está sendo descartado pelo presidente Jair Bolsonaro, que caiu na real e já notou que esses parlamentares extremistas até então só prejudicaram a gestão dele”, pontuou Coronel.
    Além de Gilmar Mendes, o procurador-geral da República, Augusto Aras, também se manifestou contra o pedido dos deputados. Segundo Aras, a atuação do senador na comissão acontece “dentro dos parâmetros da legalidade”.   / Por: Pedro França/Agência Senado 
      
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment