Dia do Solteiro: Mercado erótico esquenta com alta demanda durante a pandemia



    Na falta do carinho, toque e trocas sexuais, solteiros investem na masturbação e produtos eróticos para driblar a carência sexual de ter um parceiro ao vivo e a cores, afinal, já completaram pouco mais de seis meses do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus. Ao BNews, a jornalista de 22 anos, Giovanna Marques, contou suas experiências e estratégias para se satisfazer com segurança, já que ainda não é seguro ir aos famosos dates - encontros casuais.  
    “Estou buscando outras alternativas de estimular isso em mim, sem precisar de um parceiro. Ver filmes que de alguma forma despertam sensações de prazer, conversar com pessoas que já fiquei pra ver se rola um papo mais intenso e, principalmente, masturbação”, disse.  
    Para a jovem comunicadora, o autoconhecimento, através da masturbação, tem sido fundamental para suprir suas necessidades. Mas, apesar do tempo indeterminado para o fim da quarentena, Giovanna disse que é importante e prazeroso manter contato com outras pessoas já que, segundo ela, nada pode suprir a troca com outras pessoas, por isso, utiliza a internet como sua aliada. 
    “Até o Tinder baixei! Mas não deu muito retorno pra mim não. Só que a grande sacada é se manter em contato com as pessoas, mesmo que não seja pra sair agora, o fato de trocar ideia, falar dos desejos, mandar uns nudes, faz bem. Às vezes pode rolar uma chamada de vídeo também .... quem sabe”, descontraiu. 
    O que a estudante de 23 anos, Samari Santos, concordou: tenho me estimulado cada vez mais, as vezes por foto e vídeo também. 
    Mercado Erótico na pandemia 
    Enquanto alguns setores econômicos tiveram prejuízos durante a quarentena, o mercado erótico esquentou com a alta demanda dos clientes que buscam a satisfação sexual. Segundo a escritora e ex-presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (ABEME), Paula Aguiar, o setor registrou um crescimento de 50% nas vendas de vibradores em todo o território nacional, com a comercialização de mais de 1 milhão de vibradores e consolos. (Confira no final da matéria o top 5 do “Kit Sobrevivência Sexual”)  
    A Intt, marca que produz cosméticos e brinquedos eróticos, se surpreendeu com o mercado. “Depois do primeiro mês nossas vendas só aumentaram, tivemos o nosso melhor Dia dos Namorados da nossa história”, afirmou Stephanie Seitz, diretora da INTT Cosméticos.
    O queridinho - vibrador - já está na lista de compras de Giovanna. “Ainda não comprei por questões procrastinar. Mas até pelas indicações que recebi, parecer ser uma ótima aquisição”, ressaltou.  
    “Vendi muito vibradores, porque as pessoas nao queriam furar a quarentena e isso ajuda, então vibradores entraram pra lista dos mais vendidos e aliados dos solteiros”, completou Itana Lins, dona do Sex Shop, Mystiká Store. /Por: Divulgação  Por: Yasmim Barreto
     Top 5 do “Kit Sobrevivência Sexual” 
    1º - Bullet – é um vibrador em seu formato mínimo muito potente e versátil que pode estimular todas as zonas erógenas tanto de mulheres quanto de homens.
    2º Lubrificante Íntimo – item básico para uma sexualidade mais saudável, o lubrificante é indicado com extra na lubrificação natural e também como coadjuvante no uso com sex toys e sexo anal.
    3º Gel beijável térmico – para estimular o beijo e outras práticas orais deixa a relação mais divertida e sensorial.
    4º Gel para massagem corporal – aproveitando a deixa da necessidade de “desestressar” géis para massagem pode ser o começo de um contato íntimo mais cúmplice e envolvente.
    5º Calcinha Tailandesa – trata-se de um modelo de calcinha em renda com o fundo bordado apenas por pérolas para massagem peniana e clitoriana durante a penetração. É a coqueluche do momento.
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment