"Enquanto não tiver proposta, vou continuar achando que é CPMF", diz Maia sobre imposto digital pretendido por Guedes


    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se mostra receoso com o imposto digital sobre transações pretendido pelo ministro Paulo Guedes, incluso na Reforma Tributária.
    Segundo Maia, enquanto não houver um debate claro sobre a proposta, a sensação que prevalecerá é a de que realmente será uma nova CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que a equipe de Guedes reluta em admitir.
    “Eu respeito que o Paulo diga que não é CPMF, mas enquanto não tiver proposta, vou continuar achando que é CPMF[...] se for diferente do que a gente conhece, seria bom o governo apresentar a redação dessa proposta", disse o presidente da Câmara em videoconferência promovida pelo Banco Santander.
    Maia avisou que caso não haja progresso, vai lutar contra a proposta, para que o Brasil não caia no "pesadelo" de criar novos tributos "a cada crise".
    "Então, se o Paulo diz isso, se ministro diz isso, é bom ele apresentar a proposta, mandar uma PEC oficial para discutir a matéria. Eu vou trabalhar contra, já disse. Vou trabalhar inclusive para que seja derrotada já na CCJ, para que o Brasil não entre nesse pesadelo de ficar criando imposto a cada crise", declarou. / Por: Marcelo Camargo/Agência Brasil 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment