Ministério da Justiça acusa BBB 20 de exibir drogas lícitas e obscenidade


    O Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou um relatório em que discorre sobre os acontecimentos do "Big Brother Brasil 20", apontando amostras de apelo sexual, drogas lícitas, linguagem chula ou obscenidade. A informação é do colunista Leo Dias.
    Babu Santana, por exemplo, é citado diversas vezes no relatório por aparecer em cena com um “cigarro de nicotina”. O relatório também destaca os “goles em drinques alcoólicos” nas festas e o episódio em que Lucas Galinna disse que “só não comeu [Mari Gonzalez] porque não estava com fome” - este último comentário foi considerado "extremamente machista".
    Foi considerado ainda apelo sexual quando “em frente ao espelho, algumas garotas da casa dançam de forma sensual, rebolando e indo até o chão”, ou quando “algumas participantes se reúnem na hora do banho e entram no chuveiro juntas e começam a passar sabão umas nas outras de forma provocante, mas nitidamente em tom de brincadeira”.
    O relatório do Ministério da Justiça e Segurança Pública foi desenvolvido com o objetivo de avaliar se era necessário recomendar a alteração da classificação indicativa do programa, que vai permanecer como não recomendado para menores de 12 anos. /Por: Reprodução/TV 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment