Polícia Civil indicia PM que pisou no pescoço de mulher negra em São Paulo


    A Polícia Civil de São Paulo indiciou o policial militar João Paulo Servato, que foi filmado pisando no pescoço de uma mulher negra de 51 anos, no dia 30 de maio. Segundo o G1, o PM deve responder por abuso de autoridade.  
    O inquérito policial foi instaurado através do delegado Júlio Jesus Encarnação, do 25º DP (Parelheiros), que encaminhou o relatório ao Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo) 3, no dia 23 de julho. No entanto, a defesa e a acusação discordaram, sendo o advogado da vítima, Felipe Morandini, solicitando que o caso fosse encaminhado a uma das varas do Tribunal de Júri, porque, segundo ele, a ação do policial foi uma tentativa de homicídio. 
    Já a promotora Ana Gabriela Coutinho Caetano Visconti, solicitou "a redistribuição dos autos à Justiça Militar, competente para processar e julgar" o delito de abuso de autoridade. A Justiça comum encaminhou o caso para a Justiça Militar. Entretanto, ainda não foi oferecida denúncia contra os policiais militares.
    Ainda de acordo com o G1, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo afirmou que os policiais, envolvidos no caso, estão afastados do trabalho e que o inquérito policial foi instaurado pelo 25º DP foi relatado com o indiciamento do policial por abuso de autoridade. 
    Contudo, para o advogado de defesa, o criminalista João Carlos Campanini, os clientes agiram em legítima defesa.
    O caso
    Durante uma abordagem, após denúncias sobre perturbação de sossego, em Parelheiros, em São Paulo, o PM Servato e outro colega foram filmados por moradores. Servato aparece pisando no pescoço da vítima, que tentou defender um amigo, também imobilizado no chão por outro militar. 
    A mulher afirmou que pedia ao PM para não bater mais no homem, pois ele já estava desfalecido e tinha levado joelhadas no rosto. Nesse momento, o segundo policial veio até a mulher e a empurrou para uma grade. Ela contou que levou três socos e uma rasteira. Na queda, ela disse que fraturou a tíbia. O vídeo não mostra esta parte, no entanto, na sequência a mulher aparece deitada no chão, com o policial pisando sobre seu pescoço. O militar chega a apoiar todo seu peso sobre a mulher.
    Após o ocorrido, o PM algema a vítima e a arrasta até a calçada. À reportagem, a mulher relatou que desmaiou quatro vezes e que se debatia, e mesmo assim a violência continuou. “Quanto mais eu me debatia, mais ele apertava a botina no meu pescoço”, disse.
    Porém, os militares alegaram que estavam se defendendo pois foram atacados com uma barra de ferro. Os policiais registraram boletim de ocorrência por desacato, lesão corporal, desobediência e resistência contra a mulher.
    A vítima foi levada para o hospital onde foi atendida com ferimentos no rosto, nas costas e com a perna quebrada. Logo após, ela foi encaminhada para uma delegacia, onde ficou detida por um dia.  /Por: Divulgação / Twitter 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment